Tibete e Nepal

 

~ VIAGEM ESPIRITUAL AO TIBETE  E NEPAL ~

6 a 18 de Outubro 2018

 

Dia 01:  06 -10-2018:  Chegada a Kathmandu 

Chegada e transfer para o hotel. Começamos com uma bebida de boas-vindas, algumas apresentações e com uma orientação relativa ao programa de viagem. Dormida no hotel em Kathmandu.

 

Dia 02: 07 -10-2018:  Visita guiada ao Vale de Kathmandu

Lugares a visitar:  Templo Boudhanath Stupa e Bhaktapur Durbar Square.

Após o pequeno-almoço exploramos os palácios, templos e mosteiros do vale de Kathmandu. Começamos no Templo de Pashupatinah, um dos templos hindus mais sagrados e famosos do sul da Ásia, localizado a nordeste de Kathmandu e situado nas margens do rio Bagmati. Pashupatinah é o espírito guardião e o mais sagrado de todos os templos de Shiva no Nepal. As admissões ao templo são permitidas apenas aos hindus, no entanto é possível admirar o templo da margem oposta do rio. Toda a zona circundante a Pashupatinah e a Bagmati tem um valor sagrado para os hindus, abundando em ritos e rituais celebrados pelos devotos. Podemos ver cremações em curso nesta área, onde as cinzas dos mortos são oferecidas ao rio. Esta área é um dos mais importantes locais de peregrinação para os seguidores do hinduísmo. Milhares de devotos de todos os cantos do mundo deslocam-se diariamente a Pashupatinah e, em ocasiões especiais tais como Ekadasi, Sankranti, Mahashivrati, Teej, Akshava, Rakshabandhan, Grahana (eclipse), Poornima (lua cheia), os devotos encontram-se aqui ainda em maior número do que o habitual. O Templo de Pashupatinah está incluído na lista de Património Mundial da UNESCO. A próxima paragem é a stupa gigante de Boudhanath – um dos maiores santuários Budistas da Ásia. A stupa tem 100m de diâmetro e 40m de altura, podendo ser vista de vários pontos de Kathmandu. Existem uma série de mosteiros budistas nesta área, sendo o seu caráter predominantemente tibetano e lembrando bastante a área de Barkhor, em Lhasa.

 

Após uma pausa para o almoço em Boudhanath, dirigimo-nos para  Bhaktapur (1.401m altitude), uma das três principais áreas medievais do vale de Kathmandu, e também a mais bem preservada. Como um guarda que vigia a beleza e esplendor invejável de Bhaktapur, os panorâmicos Himalaias levitam no horizonte.  Bhaktapur, com os seus belíssimos templos e a famosa Praça de Durbar (Património Mundial da UNESCO), varandas e janelas com intricados trabalhos de madeira, fabulosas esculturas de pedra  e ruas pavimentadas com tijolos e azulejos,  dá a impressão de ser um museu ao ar-livre. Bhaktapur, conhecida localmente como “Khwopa” é mundialmente reconhecida pela sua elegante arte, fabulosa cultura e estilo de vida indígena. Pelos seus monumentos, festivais coloridos e pelos nativos Newars (reconhecidos pela sua longa história em artesanato), esta antiga cidade também é reconhecida como a “Cidade da Cultura”, “Herança Viva” e “Gema Cultural do Nepal”. Com esta inigualável opulência em arte e cultura ancestral, o ambiente aqui é tal que os visitantes são instantaneamente transportados para séculos atrás, mal entram neste museu ao ar-livre. Ao fim da tarde dirigimo-nos para o hotel.

 

Dia 03:   08-10-2018:    Kathmandu para o Parque Nacional de Chitwan 

Partimos do hotel e começamos a viagem para Chitwan. Esta viagem levará aproximadamente 6 horas. Após a chegada a Chitwan ouvimos uma pequena introdução e explicação do programa.

Após o check-in e almoço no hotel, começamos o programa com um safari de elefante no Parque Nacional de Chitwan: exploramos a selva e a vida selvagem nas costas de um elefante. Veremos rinocerontes, vários tipos de veados, macacos, javalis, ursos, leopardos e até, com alguma sorte, um Tigre Real de Bengal. Este fantástico safari durará 2 a 3 horas, após o qual voltaremos ao hotel em Chitwan para mais um delicioso jantar nepalês.

Dia 04:  09 -10 – 2018: Parque Nacional de Chitwan 

Depois do pequeno-almoço, dirigimo-nos ao Parque Nacional de Chitwan para uma viagem de canoa. Esta é a melhor e mais relaxante forma de descobrir o habitat de crocodilos nas margens do Rio Rapti, de observar os vários tipos de aves e de vida selvagem! Após a viagem de canoa, iremos visitar o centro de reprodução e proteção de elefantes, localizado na selva a 10 minutos de passeio do local da canoagem.

Após todas estas atividades, será altura para recompensar aqueles que têm mais interesse cultural, visitamos algumas aldeias Tharu, situadas no Parque Nacional. A população Tharu  é indígena da zona de Terai e vive em extensas famílias com 25 a 120 membros, todos debaixo de um mesmo teto. Têm uma cultura, tradição e linguagem únicas. Ao fim de um dia tão ativo quanto este, nada melhor do que terminar admirando o pôr-do-sol das margens do rio. Podemos descansar nas confortáveis cadeiras de madeira, com uma bebida, e esperar pelo pôr-do-sol. Durante todo este dia, o nosso guia local estará connosco para nos explicar tudo em detalhe, e para responder a quaisquer questões. Esta noite pernoitamos em Chitwan.

 

Dia 05: 10-10- 2018: Chitwan para Lumbini (Viagem de autocarro)

Neste dia, depois do pequeno-almoço, somos conduzidos para Lumbini, uma viagem de 6 horas. A viagem é cénica, com regiões montanhosas onde rios serpenteiam, e existem quintas, pequenas aldeias e povoações, e as terras baixas de Terai. Depois da chegada a Lumbini, fazemos o check-in no hotel e relaxamos. Lumbini é o local de nascimento do Senhor Buda, e onde encontramos antigos monumentos preservados tais como o Broken Ashoka Pillar, o Templo de Mayadevi , os restos do velho mosteiro e muito mais.

Dia 06: 11-10- 2018:  Visita guiada a Lumbini

Depois do pequeno-almoço fazemos uma visita guiada a Lumbini, um dos locais de maior importância religiosa no Nepal. Aqui nasceu Buda em 623BC, sendo agora um local de peregrinação Budista. Passamos o dia inteiro em Lumbini.

 

 

Locais a visitar em Lumbini

Lumbini – o local de nascimento do Senhor Buda, fundador do Budismo, conhecido por Buda ou o Iluminado. Este facto é confirmado pela existência de um pilar gravado, erguido 318 anos após o evento pelo grande imperador budista, Ashoka, tendo este visitado Lumbini em 245BC e deixado alguns dos seus famosos pilares gravados na região.

Jardim Sagrado – Com 8Km2, contém todos os tesouros desta área histórica. Foi listado pela UNESCO como Património Mundial. Local de nascimento de Buda, marcado pelo Pilar de Pedra de Ashoka, gravado com uma inscrição identificando o local. De um dos lados do Pilar de Ashoka, encontramos o Templo de Mayadevi, o templo da mãe de Buda. Escavações recentes, ao que parece, revelaram uma pedra com as Pegadas de Buda.

Lagoa de Puskarni: Localizada a sul do Pilar de Ashoka, este é o local onde se acredita que a Rainha Mayadevi, a mãe de Buda, tomou banho antes de dar à luz. Muitos países construíram templos, mosteiros ou stupas no Jardim Sagrado, na zona internacional do mosteiro, existindo uma iniciativa mundial para promover Lumbini.

Mosteiro Chinês: um complexo de Pagodas e locais de oração, construído pela Associação Budista da China.

Mosteiro Coreano: Contém imagens de grande beleza de Buda.

Mosteiro Real Tailandês: Localizado perto do local de nascimento de Buda, no Jardim Sagrado. A construção deste mosteiro foi financiada pelo Governo Real Tailandês e pelos devotos Budistas Tailandeses. O projeto foi iniciado em honra da comemoração dos 50 anos do aniversário da ascensão ao trono de Sua Majestade, o Rei Bhumibol Adulyadej.

Pillar de Ashoka: O pilar que contém uma inscrição identificando o local de nascimento de Buda. Situado perto do Jardim Sagrado.

Mosteiro de Myanmar: O Templo de Myanmar (Lokamani Cula Pagoda) é uma estrutura reluzente em dourado e branco ao estilo do Pagoda de Shwe-Dagon, em Yangon. Por perto, o Templo Internacional de Gautami Nuns, é uma excelente réplica da Stupa de Swayambhunath, em Kathmandu. Aqui existe uma lagoa conhecida como Paleswan Pukhu.

Stupa da Paz: A Stupa da Paz Japonesa situa-se na parte norte de Lumbini. Construída pelo Nippon Jon Myohoji do Japão, o edifício de 41m é visível à distância. Existem quatro estátuas diferentes do Buddha na cúpula da stupa orientadas segundo os quatro pontos cardinais. O Sri Lanka, Vietname, Tailândia e a  Mongólia estão também a construir templos em Lumbini.

 

Dia 07:  12-10-2018:  Regresso de Lumbini a Kathmandu: 

Neste dia tomamos o pequeno almoço bastante cedo e regressamos a Kathmandu por estrada. Esta viagem cénica oferece vistas magníficas dos picos ocidentais dos Himalaias, incluindo Langtang, Ganesh Himal, Manaslu, Lamjung e Annapurna. Quando chegarmos a Kathmandu fazemos o check-in no hotel e temos o resto do dia livre.

 

 

 

TIBETE

Dia 08: 13-10- 2018:  Voamos para o aeroporto de Gonggar e seguimos até Lhasa, a capital do Tibete (3h).

Dia 09: 14-10-2018: Visita ao Palácio de Potala, Templo de Jokhang & Mercado de Barkhor.

Hoje visitamos o templo Jokhang, situado no coração da parte antiga de Lhasa, que abriga a mais preciosa relíquia religiosa do Tibete, um buda sakyamuni de ouro, que foi levado como um presente pela princesa chinesa Wen Cheng pelo seu casamento com o rei do Tibete, Songtsen Gompo. Ao redor do templo Jokhang fica o movimentado mercado local de Barkhor, que é o foco religioso e social de Lhasa. Mais tarde e durante o dia, visita ao Palácio Potala, um palácio lendário mandado construir pelo primeiro rei Songtsen Gompa sobre uma única colina. Foi ampliada para a sua estrutura presente durante o século XVII pelo quinto Dalai Lama. A estrutura exótica tem 13 andares e mais de 1000 quartos; serviu como sede da antiga “religião-estado” (mosteiro e centro administrativo do governo) do Tibete e foi a casa dos sucessivos Dalai Lamas, que a partir da segunda metade do século XVIII o usavam como seu palácio de inverno. Alojamento em hotel.

 

 

Dia 10: 15-10-2018: Visita ao Mosteiro de  Drepung & Mosteiro de Sera.

 

 

Dia 11: 16-10-2018: Visita ao Palácio de  Norbulingka & Centro Médico do Tibete. 

Dia 12: 17-10-2018: mini curso de introdução à meditação, com instruções em Português (opcional).

Dia 13: 18-10-2018: Lhasa – Lisboa

A nossa viagem acaba aqui! O transfer para o aeroporto será aproximadamente 3 horas antes da hora da partida do voo. Durante o voo é possível ver (dependendo da visibilidade desse dia):  rio yarlung tsangpo , lago yamdrok, monte kanchenjunga (8586m) e monte makalu (8463m), monte  everest (8848m).

— // —

O que está incluído no Nepal ?

3 noites de hotel em Kathmandu  com pequeno-almoço em regime de quarto duplo partilhado.

2 noites em resort (tudo incluído) em Chitwan em regime de quarto duplo partilhado.

2 noites em pensão em  Lumbini com pequeno-almoço em regime de quarto duplo partilhado.

1 dia inteiro com visita guiada a Kathmandu, incluindo entradas em templos e atrações.

Deslocações por terra de Kathmandu a Chitwan e Lumbini a Kathmandu em veículos privados.

Todos os transferes do aeroporto em Kathmandu por veículos privados.

Atividades de safari na selva em Chitwan (viagem de canoa, viagem de elefante, programa cultural e visita guiada às aldeias).

Visita guiada a Lumbini incluindo tarifas de entrada nas atrações. Jantar de boas-vindas apenas no primeiro dia  excluindo bebidas.

Serviço de tradução Inglês-Português para aqueles que não falam Inglês.

Práticas de yoga, com indicações em Português, em alguns dos locais.

 

O que está incluído no Tibete:

Bilhete de avião de Kathmandu a Lhasa.

Visto para o Tibete.

Alojamento em quartos duplos partilhados em regime de pequeno-almoço.

Guia tibetano (língua inglesa) e tradução para português.

Transporte em autocarro privado conforme o itinerário.

Entradas nos lugares mencionados.

Garrafa portátil de oxigénio nos veículos.

Serviço de tradução Inglês-Português para aqueles que não falam Inglês.

Práticas de meditação, com indicações em Português, em alguns dos locais.

 

Serviços Excluídos:

Voos internacionais (Lisboa para Kathmandu e Lhasa para Lisboa). Ver abaixo detalhes do voo do grupo.

Almoço e jantar em Kathmandu e em Lumbini e a caminho de Chitwan e Lumbini.

Seguro de viagem.

Almoço e jantar no hotel ou restaurante em Lhasa.

Bebidas, Despesas pessoais, telefonemas, lavagem de roupa, gorjetas.

Visto para o Nepal. Deve ser tratado em Lisboa ou Porto.

A responsabilidade dos organizadores começa no Nepal e termina no Tibet. Embora se aconselhe um voo para o grupo, os organizadores reservam-se ao direito de viajar para o Nepal dois a três dias antes. Os viajantes podem escolher outros voos, mas devem chegar a Kathmandu num horário próximo ao do voo do grupo, a fim de beneficiarem o transfer colectivo para o hotel.

 

Preço para quarto duplo partilhado:
– até 30 de junho – 1850€
– após 1 de julho – 2050€

Suplemento quarto single – 420€. Pagamentos com cartão de crédito ou paypal implicam taxa adicional de 2,5%.

Plano de pagamento em 6 prestações: 300€ a 30 de Abril + 300€ a 30 de Maio + 300€ a 30 de Junho + 300€ a 30 de Julho + 300€ a 30 de Agosto + 350€ a 30 de Setembro.

 

 

 

Maximize o vídeo ou regule o som no canto inferior direito.

 

Os anfitriões da viagem:

 
Paulo Hayes 


Ana Hayes

Os organizadores tem larga experiência na gestão de viagens com grupos para a Índia, Tibete, Nepal, Bali, Tailândia. Esta é a terceira viagem organizada para o Tibete e Nepal e o programa, ao longo dos anos, é aprimorado no sentido de proporcionar aos viajante experiências mais felizes e completas, em harmonia com as culturas e tradições locais. A Ana viaja profissionalmente, todos os meses, há 20 anos e o Paulo organizou a primeira viagem à Índia, com os seus alunos, no ano de 2007. A partir daí, todos os anos têm organizado viagens.

 

Voos do grupo  – valor de 996€, em cotação de 23 de Janeiro 2018 no website skyscanner.com
Em alternativa, pode adquirir estes bilhetes em agência de viagem.