ArtigosTerapias

A Yogaterapia aplicada às palpitações

O yoga surgiu há cerca de cinco mil anos.

Quanto à yogaterapia, esta nasceu da união do yoga classico com a medicina moderna.

O Swami Kuvalyananda foi o grande pioneiro da yogaterapia por volta de 1920, aplicando os métodos da ciência médica ocidental para estudar os efeitos terapêuticos da aplicação do yoga. Nas décadas seguintes as suas práticas e estudos espalharam-se pela Índia e pelo mundo inteiro.

As principais técnicas utilizadas no yoga terapêutico, ou yoga terapia, são os asanas (posturas psico-fisicas), o Pranayama (técnicas de controle da respiração), yoga nidra (técnicas de relaxamento), a meditação, e a utilização do som.

A alimentação saudável, a massagem, as regras da medicina ayurvedica (ciência da vida) são técnicas complementares de que o yogaterapeuta dispõe.

A grande diferença da yoga terapia e do yoga clássico está na aplicação das técnicas existentes às patologias ou aos desequilíbrios individuais. Enquanto que no yoga clássico os adeptos praticam em grupo e de uma forma mais ou menos sequencial as diferentes técnicas, no yoga terapêutico o paciente executa um programa, adaptado á sua condição bio-psico-social, previamente definido pelo yogaterapeuta.

A yoga terapia é utilizada como uma poderosa técnica complementar, de prevenção na doença ou de tratamento, e não substitui o aconselhamento clínico específico. A grande vantagem da yoga terapia é a de que não utiliza químicos ou aparelhos mecânicos auxiliares, é um sistema integral, visa não apenas o tratamento dos sintomas mas também procura tratar raiz dos problemas. O paciente deve sempre empenhar-se na execução do programa individual construido pelo yogaterapeuta. A solução construída, na perspectiva da yoga terapia, passa pelo tratamento das várias “camadas” do ser humano: física, emocional, mental e espiritual. Solução esta, que se enquadra perfeitamente no conceito de saude para a Organização Mundial de Saúde (OMS) que define saúde não apenas como a ausência de doença, mas como um estado de perfeito bem-estar físico, mental e social.

Sintomas

Quanto às palpitações, estas caracterizam-se pelo sentir de batimentos cardíacos desagradaveis e podem ser comuns em vários grupos etários. Podem ocorrer devido ao stress, uso excessivo de chá,café, alcool, drogas ou outras substancias excitantes ou psicotropicas. Se reduzirmos o consumo destes produtos os sintomas podem mesmo desaparecer. O paciente deve inicialmente verificar se o seu coração é normal. Apesar de provocarem alguma insegurança, nos pacientes com coração normal , as palpitações são consideradas não graves. Normalmente vão desaparecendo espontaneamente e sem qualquer intervenção.

A prática regular de yogaterapia auxilia muito a controlar a frequência do batimento cardíaco e melhora os sintomas de palpitações.

Alimentação

Alguns produtos naturais tambem ajudam. O chá de menta e o sumo de alface são bons para as palpitatações do coração devidas à instabilidade emocional. O alho, sandalo, valeriana são tambem muito utilizados.

Yoga

No International Journal of Cardiology, Volume 108, Issue 1, Paginas 124-125 P. Ravindra, . Madanmohan, P. Pavithran, descrevem um estudo sobre os efeitos do Pranayama (respiração do yoga) e shavasana ( postura de relaxamento) em pacientes com palpitações. A técnica Anuloma Viloma (ou nadi shodhana) é uma das tecnicas de respiração do yoga particularmente eficaz para pacientes com palpitações. Consiste numa respiração alternada. Inicia-se a Inspiração pela narina esquerda e expira-se pela narina direita. Depois inspira-se pela narina direita e expira-se pela esquerda. Quatro tempos para a inspiração e oito tempos para a expiração. Praticar durante cinco minutos ao acordar e cinco minutos antes de deitar. Não devem ser usadas retenções (Khumbaka). A técnica savasana (ou shavasana) consiste num relaxamento consciente, onde a atenção está focalizada no corpo e na respiração. Utilizar um tapete de yoga, ou uma colchonete confortável, e deitar de barriga para cima, afastando as pernas e braços cerca de 40 a 50 cm do corpo. As palmas das mãos ficam viradas para cima. Começar por relaxar os pés, e ir subindo pelo corpo, visualizar o relaxamento de todos os musculos, tendoes e articulações. Visualizar os orgaos internos, a coluna, a cabeça, etc. Deve ser gerado interiormente um sentimento positivo de bem estar que se propaga a todo o corpo e mente. A postura pawanmuktasana, entre outras, o yoga nidra, a meditação e as técnicas de respiração Bhramari e Ujjayi são particularmente eficazes no combate às palpitações. As tecnicas acima indicadas devem ser acompanhadas sempre pela supervisão de um yogaterapeuta. Não constituem de forma alguma um tratamento aplicavel como uma regra geral, mas são um poderoso instrumento natural que inequivocamente auxiliam o paciente na remoção dos batimentos cardíacos desagradáveis.

Ananda Acharya

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *